Filiação da UMP-BA

UNMP
CMP

Usuários On-line

Temos 9 visitantes on-line
Início seta Eventos e mobilizações seta Vitória da Luta Popular!
Vitória da Luta Popular! PDF Imprimir E-mail
Escrito por Dito UNMP   
31-Out-2007
Graças à luta e garra do Fórum Nacional de Reforma e às entidade dos Movimentos Populares - CMP, CONAM, MNLM e UNMP, a Câmara Federal aprovou ontem a Medida Provisória 387/07 que dispõe sobre repasse dos recursos do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal e o repasse direto dos recursos do FHNIS.

O fundamental para nós dos movimentos sociais é que a referida MP, através de uma emenda do deputado Zezéu Ribeiro do PT da Bahia, também tratou e aprovou o repasse direto dos recursos para associações sem fins lucrativos para produzir moradia popular em regime de mutirão com autogestão, através dos recursos do FNHIS.

Esta é uma vitória histórica para os movimentos populares que lutava por esta bandeira desde a coleta de assinaturas do Fundo Nacional de Moradia Popular, que finalmente conseguimos aprovar na Câmara graças as nossas mobilizações do Dia Mundial do Habitat. O movimento tem outras batalhas pela frente já que o Projeto agora vai para o Senado, onde precisa passar e por comissões e ser aprovada pela maioria dos Senadores e Senadoras.

Assim a luta continua! E viva a unidade do Movimento Popular!

Veja como ficou o novo texto da lei!

Acrescente-se o seguinte art. 9º à Medida Provisória no 387, de 31 de agosto 2007, renumerando-se os subseqüentes:

"Art. 9º O art. 12 da Lei no 11.124 , de 16 de junho de 2005, passa a vigorar acrescido dos seguintes parágrafos:

§ 6º Os recursos do FNHIS também poderão, na forma do regulamento, ser aplicados por meio de repasse a entidades privadas sem fins lucrativos, cujos objetivos estejam em consonância com os do Fundo, observados os seguintes parâmetros:

I - a definição de valor limite de aplicação por projeto e por entidade;

II - o objeto social da entidade ser compatível com o projeto a ser implementado com os recursos repassados;

III - o funcionamento regular da entidade por no mínimo de três anos;

IV - a vedação de repasse a entidade que tenha como dirigentes membros dos Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, do Ministério Público e do Tribunal de Contas da União, bem como seus respectivos cônjuges, companheiros, e parentes em linha reta, colateral ou por afinidade até o 2º grau, ou servidor público vinculado ao Conselho Gestor do FNHIS ou ao Ministério das Cidades, bem assim seus respectivos cônjuges, companheiros, e parentes em linha reta, colateral ou por afinidade até o 2º grau;

V - o repasse de recursos do Fundo será precedido por chamada pública às entidades sem fins lucrativos, para seleção de projetos ou entidades que tornem mais eficaz o objeto da aplicação;

VI - a utilização de normas contábeis aplicáveis para os registros a serem realizados na escrita contábil em relação aos recursos repassados pelo FNHIS;

VII - a aquisição de produtos e a contratação de serviços com recursos da União transferidos a entidades deverão observar os princípios da impessoalidade, moralidade e economicidade, sendo necessária, no mínimo, a realização de cotação prévia de preços no mercado antes da celebração do contrato, para efeito do disposto no art. 116 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993;

VIII - o atendimento às demais normas aplicáveis às transferências de recursos pela União a entidades privadas."

_____________________________________

Notícias: Agência Câmara

MP também destina verbas para habitação social

A única mudança feita pelo relator e acatada pelo Plenário foi em relação a outro assunto tratado pela MP 387/07. Dagoberto aceitou emenda do deputado Zezéu Ribeiro (PT-BA) e permitiu o repasse de recursos do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS) a entidades privadas sem fins lucrativos para projetos relacionados aos objetivos do fundo.

Para receberem o dinheiro, elas devem atender a determinados requisitos: funcionamento regular da entidade por no mínimo três anos; definição de valor limite por projeto e por entidade; participação em chamada pública para seleção dos projetos; aquisição de produtos ou serviços com cotação de preços no mercado antes de celebrar o contrato; e objeto social compatível com o projeto apresentado.

Esse tipo de repasse não poderá ocorrer a integrantes dos três poderes, do Ministério Público ou do Tribunal de Contas da União (TCU), assim como a seus parentes até o segundo grau.

Subsídio a moradias


A MP permite ainda que o governo federal opere, em 2007 e 2008, o Programa de Subsídio à Habitação de Interesse Social (PSH) segundo as regras originais da lei que o criou (Lei 10198/04), sem a necessidade de descentralização dos recursos a estados e municípios.

Pela sistemática original, os subsídios para a construção de moradias para a população de baixa renda são definidos a partir de leilões, nos quais concorrem as instituições e os agentes financeiros do Sistema
Financeiro Habitacional.

Reportagem - Eduardo Piovesan
Edição - João Pitella Junior

(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara')

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email

Atualizado em ( 31-Out-2007 )
 
< Anterior   Próximo >

Agenda

« < Novembro 2017 > »
D Sg T Q Q Se
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2

Próximas datas

Nenhum evento
© 2017 UNIÃO por Moradia Popular Bahia: autogestão e reforma urbana
JoomlaClube - Comunidade do Joomla no Brasil
Joomla! é um software livre disponibilizado sob licença GNU/GPL.